TOP – TERROR

    0

    Normalmente quando um crítico prepara uma lista temática,
    escolhe os filmes mediante um acordo entre seu lado racional e emocional,
    levando em consideração a importância das obras em seu contexto e seu mérito
    técnico. Como sou um fã deste gênero (em todas as suas vertentes), irei fazer
    diferente e escolherei meus filmes favoritos, que considero mais interessantes,
    mesmo que não sejam renomados ou exemplos de requinte. Alguns inclusive podem
    não ser exatamente do gênero, mas apavoram o suficiente para incluí-los na
    lista. A divisão também será diferente, sem escala de preferência. Para não
    estender demais a postagem, cada filme terá apenas um breve comentário (nada
    técnico, mas emocional).

    Diretores Autorais/Elenco Refinado:

    David Cronenberg

    -Filhos do Medo(The Brood – 1979) – Crianças
    mutantes atacando uma escola, algo que seria impensável no mundo chato e
    politicamente correto de hoje.

    -A Hora da Zona Morta(The Dead Zone – 1983) –
    Foi o filme que me apresentou à obra literária de Stephen King

    -A Mosca(The Fly – 1986) – Quando eu era
    criança, bastava me deparar com a cara do Jeff Goldblum na televisão em
    qualquer filme, que corria para longe. A cena das unhas traumatizou uma
    geração.

    Michael Winner

    -A Sentinela dos Malditos(The Sentinel – 1977) –
    Ava Gardner, Eli Wallach, Martin Balsam, Mel Ferrer e Burgess Meredith, entre
    outros, na obra de terror com o elenco mais refinado de todos os tempos. Tema e
    execução perfeitos, criando cenas apavorantes, como o vulto que atravessa o
    quarto escuro e o ataque dos malditos (utilizando pessoas com deformações
    físicas reais,algo que nunca mais se repetirá na indústria).

    Alfred Hitchcock

    -Psicose(Psycho – 1960) – Muito se fala da cena
    no chuveiro, mas a que me apavorou quando assisti pela primeira vez foi o
    ataque ao homem na escada. A utilização de um ângulo de câmera diferente teria
    arruinado a cena.

    -Os Pássaros(The Birds – 1963) – Somente um gênio
    poderia nos fazer ter medo de pombos.
    Nicolas Roeg
    – Inverno de Sangue em Veneza (Don’t Look Now – 1973) – Quando penso em um final inesquecível…

    Stanley Kubrick

    -O Iluminado(The Shining – 1980) – Transmite com
    extrema eficiência a sensação de solidão. Chegamos a sentir frio no clímax. Sem
    Jack Nicholson não teria sido tão eficiente.

    David Lynch

    -Eraserhead(Eraserhead – 1977) – Incompreensível
    e grotesco. Um pesadelo daqueles que nos levantam no meio da noite e nos fazem
    buscar o interruptor.

    -Veludo Azul(Blue Velvet – 1986) – Um dos
    melhores filmes de terror psicológico, auxiliado pela incrível construção de
    clima do diretor.

    Pedro Almodóvar

    -A Pele que Habito(La Piel que Habito -2011) –
    Poucos filmes trabalharam tão bem a questão da identidade.

    Rob Reiner

    -Louca Obsessão(Misery – 1990) – Ah, Kathy Bates
    e a cena do martelo…

    M. Night Shyamalan

    -O Sexto Sentido(The Sixth Sense – 1999) – Desde
    “O Exorcista”, que o paranormal não havia sido tão bem trabalhado.

    William Friedkin

    -O Exorcista(The Exorcist – 1973) – Até um ateu
    convicto sente sua espinha gelar ao assistir esta batalha entre o céu e o
    inferno, pela sobrevivência de uma garotinha.

    David Fincher

    -Seven – Os Sete Crimes Capitais(Seven – 1995) –
    Tente esquecer o desfecho…

    John Frankenheimer

    -Sob o Domínio do Mal(The Manchurian Candidate –
    1962) – O terror que reside na mente, frágil à manipulação…

    Charles Laughton

    -O Mensageiro do Diabo(The Night of The Hunter –
    1955) – Robert Mitchum vive um golpista que se passa por pastor evangélico,
    aterrorizando duas crianças.

    Robert Wise

    -O Enigma de Andrômeda(The Andromeda Strain –
    1971) – Uma bactéria alienígena, um grupo de cientistas buscando resolver o
    problema, que Wise conduz com apavorante calma e silêncio.

    Darren Aronofsky

    -Cisne Negro(Black Swan – 2010) – O medo
    interior, a busca por vencê-lo, a abdicação da alma neste processo.

    Martin Scorsese

    -Cabo do Medo(Cape Fear – 1991) – De Niro dá
    mais medo que todos os monstros do gênero juntos, nesta refilmagem superior ao
    original.

    Richard Donner

    -A Profecia(The Omen – 1976) – Escutar a trilha
    sonora de Jerry Goldsmith no escuro sozinho ainda é algo desafiador…

    Alan Parker

    -Coração Satânico(Angel Heart – 1987) – De Niro
    como satanás, precisa dizer algo mais?

    Jonathan Demme

    -O Silêncio dos Inocentes(The Silence of the
    Lambs – 1991) – Anthony Hopkins como um refinado canibal, na única obra do
    gênero a ser laureada com o Oscar principal.

    Roman Polanski

    -O Bebê de Rosemary(Rosemary´s Baby – 1968) – O
    mais ousado em uma época em que a ousadia predominava no gênero.

    Brian De Palma

    -Carrie – A Estranha(Carrie – 1976) – Quebrei um
    copo, que caiu da minha mão com o susto no desfecho…

    Henri-Georges Clouzot

    -As Diabólicas(Les Diaboliques – 1955) – O único
    diretor capaz de fazer tremer até Hitchcock.

    Obras Subestimadas ou Injustamente Pouco Conhecidas:

    -Cubo(Cube, de Vincenzo Natali – 1997) – Antes
    de “Jogos Mortais” e seus similares, houve este filme de baixo orçamento. Nem
    preciso dizer que ele é melhor que todas as sequências do filme já citado,
    juntas…

    -A Coisa(The Stuff – 1985) – A cena da pressão
    psicológica com o creme de barbear continua tão eficiente quanto em seu ano de
    estreia.

    -O Exorcista 3(The Exorcist 3 – 1990) –
    Diferente do que muitos pensam, nesta obra roteirizada e dirigida pelo criador
    do livro original, William Peter Blatty, o clima é opressivo e algumas cenas
    podem ser inseridas em qualquer top do gênero, como a da enfermeira.

    -O Homem de Palha(The Wicker Man – 1973) –
    Christopher Lee e um culto pagão inesquecível.

    -Possessão(Possession – 1981) – Isabelle Adjani
    e Sam Neill no retrato mais doentio de um relacionamento fracassado.

    -Os Olhos da Cidade São Meus(Anguish – 1987) –
    Para quem considera “A Origem” original…

    -A Troca(The Changeling – 1980) – O melhor filme
    do subgênero “casas mal-assombradas”.

    -A Hora do Lobisomem(Silver Bullet – 1985) – Meu
    filme de terror preferido quando criança.

    -O Ritual dos Sádicos(1970) – José Mojica Marins
    em seu melhor trabalho.

    -O Castelo Maldito(Castle Freak – 1995) –
    Deveria ser mais famoso que o inferior “Re-Animator”, do mesmo diretor: Stuart
    Gordon.

    Monstros, Espíritos, Alienígenas e “Terrir”:

    -Fome Animal(Braindead – 1992) – Peter Jackson
    equilibrando o humor e o terror, com o auxílio de um padre karateca.

    -Poltergeist – O Fenômeno(Poltergeist – 1982) –
    Com mais momentos cômicos ou “chapa branca” que deveria (influência de
    Spielberg, provavelmente), ainda se mantém forte em seu ato final.

    -Um Lobisomem Americano em Londres(An American
    Werewolf in London – 1981) – John Landis e a melhor cena de transformação já
    captada até hoje.

    -A Hora do Espanto(Fright Night – 1985) – Muito
    imitado na época, nunca igualado.

    -Os Garotos Perdidos(The Lost Boys – 1987) – Uma
    das poucas imitações de “A Hora do Espanto” que merecem crédito…

    -O Enigma de Outro Mundo(The Thing – 1982) –
    John Carpenter ensinando como realizar uma refilmagem mais eficiente que o
    original.

    -Alien – O Oitavo Passageiro(Alien – 1979) – Uma
    aula de construção de suspense, cabulada por todos os cineastas da nova
    geração.

    -Tubarão(Jaws – 1975) – Enquanto que em
    “Jurassic Park”, os dinossauros de Spielberg não exibiam sangue e vísceras nas
    presas, seu monstro marítimo continua afastando muitos banhistas do oceano.

    -Halloween – A Noite do Terror(Halloween – 1978)
    – Mesmo sabendo o filme de trás para frente, ainda me assusto quando Michael
    Myers se levanta…

    -Sexta-Feira 13 – Parte 2(Friday the 13th, Part
    2 – 1981) – O primeiro pode ter iniciado a franquia, mas é neste segundo que o
    terror se instaura. A desolação é ainda muito eficiente, muito antes de Jason
    virar uma sátira nas sequências.

    -A Hora do Pesadelo(A Nightmare on Elm Street –
    1984) – Wes Craven utiliza o desconhecido que permeia o mundo onírico, compondo
    um personagem inesquecível: Freddy Krueger.

    -O Massacre da Serra Elétrica(The Texas Chainsaw
    Massacre – 1974) – Traduz com perfeição o aspecto doentio da trama.

    -Hellraiser – Renascido do Inferno(Hellraiser –
    1987) – Clive Barker cria algo tão repulsivo, que parece que foi co-roteirizado
    pelo próprio capeta.

    -A Morte do Demônio(The Evil Dead – 1981) – Sam Raimi
    transformaria o conceito em um pastiche na sequência mais famosa.

    -Brinquedo Assassino(Child´s Play – 1988) –
    Pensar que eu já tive medo do Chucky…

    -O Orfanato(El Orfanato – 2007) – Um dos poucos
    filmes de terror que emocionam ao final.

    -Espíritos – A Morte Está ao Seu Lado(Shutter –
    2004) – A última vez que me lembro de sentir genuíno pavor na sala de cinema.

    Zumbis, Giallos e “Schockumentary´s”:

    -Cannibal Holocaust(1980) – Revoltante e ainda
    assim, coerente ao seu propósito. Não recomendado para estômagos fracos.

    -REC(2007) – Única obra no estilo “câmera
    tremida na mão”, que eu considero interessante.

    -A Volta dos Mortos-Vivos(The Return of The
    Living Dead – 1985) – Dan O´Bannon reinventa o conceito de Romero, com uma
    pitada de humor.

    George Romero

    -A Noite dos Mortos-Vivos(Night of the Living
    Dead – 1968) – Estabelece o clima desde os primeiros segundos.

    -O Despertar dos Mortos(Dawn of the Dead – 1978)
    – Quem nunca quis passar uma madrugada dentro de um shopping vazio?

    -O Dia dos Mortos(Day of the Dead – 1985) – O
    “gore” mais eficiente da trilogia.

    Dario Argento

    -Prelúdio para Matar(Profondo Rosso – 1975) –
    Atento aos detalhes…

    -Suspiria(Suspiria – 1977) – “Terror arte” em
    estado puro.

    Lucio Fulci

    -Zombi – A Volta dos Mortos(Zombi 2 – 1979) –
    Quem venceria uma luta entre um zumbi e um tubarão?

    Terror Clássico:

    -O Gabinete do Dr. Caligari(Das Cabinet Des Dr.
    Caligari – 1920) – A loucura retratada pelo expressionismo alemão.

    -A Carruagem Fantasma(Körkarlen – 1921) –
    Efeitos ainda hoje impressionantes pela criatividade investida em sua
    realização.

    -Nosferatu(Nosferatu, Eine Symphonie des Grauens
    – 1922) – Murnau ensinando aos americanos como realizar uma obra no gênero.

    -O Fantasma da Ópera(The Phantom of the Opera –
    1925) – A chocante revelação de Lon Chaney, onde até a câmera fica embaçada
    para evitar vê-lo sem a máscara.

    -A Casa dos Maus Espíritos(House on Haunted Hill
    – 1959) – O terror como uma atração de parque de diversões.

    -Drácula(1931) – Bela Lugosi consegue dar medo
    até mesmo sem a ajuda do roteiro.

    -Frankenstein(1931) – Boris Karloff emociona
    como o monstro incompreendido.

    -O Homem-Invisível(The Invisible Man – 1933) –
    Nenhum efeito em computação gráfica até hoje transpôs melhor esta história.

    -Monstros(Freaks – 1932) – O ataque dos
    “monstros” na chuva, inesquecível.

    -O Vampiro da Noite(Horror of Dracula – 1958) –
    Christopher Lee e Peter Cushing na obra-prima dos estúdios “Hammer”.

    RECOMENDAMOS


    Octavio Caruso
    Viva você também este sonho...

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here