quarta-feira, 2 de novembro de 2016

TOP - Séries de TV (que marcaram a minha vida)

Nesse mês é celebrado mundialmente o Dia da Televisão (21 de Novembro), então decidi compartilhar com meus leitores as dez séries televisivas que marcaram em minha vida até o momento. Uma lista emotiva, com títulos que normalmente são desprezados pelos pseudointelectuais. E preferi me ater às séries que já foram finalizadas, já que, na maioria das vezes, cai a qualidade dos roteiros e eu vou perdendo o interesse ao longo das temporadas. A exceção é "Arquivo X", que teve uma nova temporada moderna, mas levo em consideração apenas a jornada original. "Twin Peaks" poderia ter entrado, mas a queda de qualidade na segunda temporada não pode ser ignorada. Vale ressaltar que a lista não está em ordem de preferência.


Anos Incríveis (The Wonder Years - 1988 a 1993)
A TV Cultura era a emissora que eu mais via na infância, passava Rá-Tim-Bum, Pingu, Tintim, O Mundo de Beakman e essa preciosidade chamada "Anos Incríveis". Os episódios eram pura poesia, nostalgia, elegância e ternura. O tipo de entretenimento que infelizmente não se faz mais hoje em dia. As crianças já foram mais respeitadas pelos veículos de comunicação. 


Jornada nas Estrelas (Star Trek - 1966 a 1969)
Capitão Kirk, Spock e McCoy, são mais que personagens de uma série, eles ajudaram a formar o meu caráter. A série que fez com que eu me apaixonasse perdidamente pela ficção científica ainda na infância. 


Monty Python Flying Circus (1969 a 1974)
A série, especialmente as duas primeiras temporadas, representa a criatividade cômica elevada à enésima potência. Quando vejo o público de hoje celebrando qualquer sitcom tola, constato que o público da "sala de jantar" ainda não está preparado para a irreverência do grupo. 


Breaking Bad (2008 a 2013)
O melhor momento da dramaturgia televisiva recente, roteiros geniais, não tem sequer um episódio ruim. Uma aula de como desenrolar uma trama sem gordura extra, com pleno desenvolvimento de todos os personagens. Trabalho de gente grande. 


Married with Children (1987 a 1997)
A modinha na minha época de adolescente era ser fã de "Os Simpsons", mas eu nunca me senti cativado pela animação. É como "Os Três Patetas", eu compreendo o valor, mas não consigo gostar. Irreverência mesmo eu encontrei na família Bundy, com tramas ousadas para a época, ultrapassando todos os limites do politicamente correto. 


Arquivo X (The X-Files - 1993 a 2002)
Uma mitologia rica em possibilidades, uma dupla de personagens carismáticos, enredos instigantes e uma música-tema inesquecível em seu minimalismo. 


Chaves (El Chavo del Ocho - 1972 a 1979)
O saudoso Roberto Gómez Bolaños escreveu episódios em que vários diálogos e cenas entraram para a cultura pop nacional, um personagem que nunca irá envelhecer, humor ingênuo, inteligente e puro.


Esquadrão Relâmpago Changeman (Dengeki Sentai Chenjiman - 1985 a 1986)
Com o futuro lançamento de um novo filme dos Power Rangers, boa parte dos críticos vai confessar que apreciava a série original na adolescência, mas eu sou tokusatsu japonês de raiz, minha infância foi pulando na frente da televisão, imitando os movimentos de Tsurugi, o Change Dragon de Changeman. 


ALF, o ETeimoso (Alf - 1986 a 1990)
O querido dublador Orlando Drummond é a razão principal para esse título estar na lista. Ao pensar na série, eu volto no tempo imediatamente para as tardes de Domingo de minha infância.


Os Trapalhões (1969 a 1994)
O quarteto Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, os heróis nacionais de toda criança da década de oitenta. Maravilhoso humor politicamente incorreto, mistura de estilos, incorporando outras culturas como Monteiro Lobato fazia na literatura, um pedaço inesquecível da história da televisão brasileira.

***






* A distribuidora Vinyx Multimídia, pelo selo Empire Films, está lançando em DVD a primeira temporada da série "Anos Incríveis". Embalagem digipack, tendo como bônus um CD com a trilha-sonora. O produto pode ser encontrado nas melhores lojas virtuais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário