Na Mira de 007: Parte 10 – A Simetria Perfeita da Fórmula

    0

    007 – O Espião que me Amava (The Spy Who Loved Me, 1977)

    Antes do início da produção do décimo filme da franquia, uma
    ruptura chamou a atenção da mídia e adiou a preparação das filmagens: o
    produtor Harry Saltzman, passando por uma grave crise financeira, viu-se
    forçado a vender a sua parte para o estúdioUnited Artists. Albert
    Broccoli iria carregar sozinho e nas costas esse e os futuros projetos. Com o
    atraso na produção, o diretor Guy Hamilton foi forçado a deixar o cargo
    paraLewis Gilbert(de “Com 007, Só se Vive Duas Vezes” – 1967).
    Broccoli sabia que precisaria de um esforço extra para que este filme fosse tão
    bom quanto os fãs mereciam, satisfazendo todas as elevadas expectativas. O
    primeiro passo foi priorizar uma extraordinária sequência pré-títulos. Nela, o
    agente 007 saltaria de um precipício após descer esquiando um desfiladeiro de
    neve, abrindo seu paraquedas com a imagem da bandeira da Inglaterra alguns
    segundos depois, sendo levado gentilmente ao chão nos braços do patriotismo
    britânico. A difícil cena realizada pelo dublêRick Sylvester, que
    quase morreu nesse processo, foi mais do que eficiente para a trama, marcou uma
    época e simboliza até hoje o escapismo da série.

    O roteiro do filme, escrito porRichard Maibaum,
    abordava um megalomaníaco intelectual chamado Carl Stromberg, vivido pelo
    alemãoCurt Jurgens, que intencionava destruir o mundo, criando uma nova
    sociedade submarina. Seu auxiliar Jaws (no Brasil, ficou conhecido como “Dentes
    de Aço”), uma homenagem ao tubarão do filme de Spielberg, consegue eliminar com
    vorazes mordidas qualquer um que cruzar seu caminho. Para o papel do famoso e,
    até então, mudo personagem, foi chamado o atorRichard Kiel, que com seus
    quase dois metros e vinte de altura evidencia novamente a tentativa dos
    produtores de aproximarem-se do burlesco, no anterior, um anão ameaçava a
    integridade física do herói, favorecendo imageticamente os extremos. O sucesso
    do personagem foi tão avassalador, que o estúdio foi obrigado a tê-lo de volta
    no filme posterior: “Moonraker”.

    Pela primeira vez na franquia, James Bond iria ser
    acompanhado de umaBond Girltão inteligente quanto ele, um reflexo
    do crescente movimento feminista pelo mundo. A agente secreta da KGB Anya
    Amasova, também conhecida como Triplo-X, foi interpretada pela bela atriz
    nova-iorquinaBarbara Bach, que foi escolhida por Broccoli ao fazer um
    teste, totalmente desnuda, para um filme italiano. Ela sabe que o espião foi o
    responsável pela morte de seu namorado, um sósia de George Lazenby,
    demonstrando a revanche moral dos produtores, jurando assim vingar-se de 007
    ao final da missão. O duelo psicológico pleno em sedução entre os dois agentes
    mostra-se uma bem-vinda novidade no caminho da série. O filme inovou
    também com uma ótimagadget, aWet Bike, um projeto do que viria a
    ser o atualJet Ski.

    Como se já não fosse suficiente, o filme contém uma cena
    histórica e eterna no cânone: o mergulho submarino do carroLótus Esprit.
    Após uma perseguição dramática envolvendo motocicletas e helicópteros, o espião
    leva seu automóvel para o fundo do mar, surpreendendo seus inimigos ao se
    transformar em um submarino. O forte impacto que esta cena teve na época,
    elevou ainda mais o padrão de excelência para os próximos projetos, que
    acabariam tornando-se durante um breve período um show onde se priorizava o
    espetáculo, acrobacias cada vez mais ousadas, mesmo que visualmente pouco
    eficientes, deixando o roteiro um pouco de lado. Celebrando o décimo filme da
    lucrativa franquia, determinou-se que havia chegado a hora de uma canção que
    falasse, não dos vilões ou da trama, mas sim do próprio protagonista.Marvin
    Hamlish, compositor deste projeto, criou então a canção “Nobody Does it Better
    (Ninguém Faz Melhor), interpretada com emoção porCarly Simon.

    O filme custou treze milhões de dólares e lucrou quase
    quinze vezes mais no mundo todo. O ápice do reinado deRoger Mooree, sem dúvida, uma das melhores incursões na franquia.

    RECOMENDAMOS


    Octavio Caruso
    Viva você também este sonho...

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here