“Os Pássaros”, de Alfred Hitchcock

1

Os Pássaros (The Birds – 1963)

Caso minha memória não esteja me pregando uma peça, creio que “Os Pássaros” tenha sido minha primeira experiência com Hitchcock, na época de garimpo adolescente nas locadoras de vídeo. É impressionante como a linguagem cinematográfica, o estímulo sensorial inteligentemente trabalhado, pode conseguir fazer com que um bando de pássaros inofensivos se torne uma perturbadora ameaça capaz de conduzir a sociedade a um cenário apocalíptico.

Muitos comentam sobre a eficiência dos efeitos visuais para a época, mas as sequências
mais movimentadas não representam o apogeu de terror que o diretor alcança em
momentos silenciosos, como os segundos que antecedem o primeiro ataque no barco
de Melanie (Tippi Hedren), ou o simples caminhar lento de um personagem que
atravessa um parque onde os brinquedos infantis foram dominados pelos pássaros. A engenhosidade narrativa é impulsionar o filme com o ritmo trivial de uma comédia romântica, conduzindo o espectador até o turning point, mas negando a ele a possibilidade de prever os acontecimentos e, por conseguinte, preparar emocionalmente as reações enquanto passivo elemento diante da tela.

Até mesmo a trilha sonora convencional é descartada neste processo, o que desorienta ainda mais o espectador. É comum encontrar cinéfilos que não compreendem o impacto do filme, até mesmo fãs do diretor que afirmam não gostar dele, o produto final talvez seja o mais experimental em sua carreira, mérito precioso já que ele não precisava provar mais nada, aquele que menos se debruça na padronização retórica do suspense que ele mesmo patenteou.

Os mais dedicados buscaram explicações psicanalíticas, filosóficas e científicas sobre
o comportamento dos pássaros, na tentativa de agregar maior valor, mas eu creio
que o real pavor do roteiro resida na impossibilidade de se compreender o que
ocorre na cidade de Bodega Bay, o medo se intensifica quando cogitamos a
hipótese de não haver lógica alguma nesse fenômeno, logo, somos incapazes de
estudá-lo, totalmente indefesos.

os passaros site darkside banner - "Os Pássaros", de Alfred Hitchcock

* O livro escrito por Frank Baker está sendo lançado pela Editora Darkside Books, com o usual refinamento, em Limited Edition (capa dura), fiel à versão definitiva, revisada à mão pelo próprio autor, em 1964.

RECOMENDAMOS


Octavio Caruso
Viva você também este sonho...

1 COMENTÁRIO

  1. Muito se falou na época sobre este clássico. Mas a ideia que tomou conta da maioria dos americanos, e até mesmo dos críticos especializados, era de que "Os Pássaros" fazia uma forte alusão à invasão comunista à terra do Tio Sam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here