007 Contra Octopussy (Octopussy – 1983)

Os produtores Albert Broccoli e Michael G. Wilson sentiram o impacto do retorno de Sean Connery em “Nunca Mais Outra Vez”, viram que não poderiam se acomodar, correndo para finalizar “Octopussy” e fazê-lo o melhor que podiam. O orçamento destinado à produção do filme foi de aproximadamente 110 milhões de dólares e isto fica evidenciado em cada frame. O roteiro foi retirado de um conto homônimo de Ian Fleming, lançado em 1966, e a direção ficou a cargo novamente do talentoso John Glen.

Contrastando com o tom sério do filme anterior da franquia oficial, “Octopussy” desfila cor e vibração, o exotismo das locações na Índia em muito cooperaram com o clima da aventura. Na trama, 007 persegue um exilado príncipe afegão: Kamal Khan, vivido elegantemente por Louis Jourdan, e sua associada, a enigmática contrabandista de joias: Octopussy (Maud Adams em seu segundo papel na franquia).

roger moore octopussy 1983 - "007 Contra Octopussy", de John Glen

Roger Moore iria se aposentar do papel após “For Your Eyes Only”, levando os produtores a procurarem um novo ator. Dentre os que fizeram testes para o papel estavam James Brolin e Timothy Dalton, mas ao saber que Connery iria participar do projeto “Never Say Never Again”, o orgulho de Moore falou mais alto e ele aceitou dar continuidade à série e provar-se merecedor do papel. O personagem Q (Desmond Llewelyn) também viria a ter uma maior participação nesta produção, entregando a Bond sua gadget mais espirituosa: um minissubmarino em forma de jacaré, que entrou para a galeria das mais famosas bugigangas já criadas para o agente.

Dentre as cenas de ação, vale salientar a longa batalha no trem, em que o espião enfrenta os gêmeos atiradores de facas, muito bem editada por Bob Simmons. A trilha sonora foi composta por um inspirado John Barry. A canção “All Time High”, cantada por Rita Coolidge ficou entre as quarenta mais tocadas nas paradas norte-americanas. Esta foi a segunda vez que a canção principal não foi tirada do tema do filme, a primeira havia sido “Nobody does it Better”, de “The Spy Who Loved Me”.

A sequência final do filme, em que o espião se disfarça de palhaço para entrar no circo de Octopussy e desbaratar a ação criminosa, foi duramente criticada na época, assim como a fuga na selva ao som do famoso grito de Tarzan, aliado ao fato de Moore já aparentar a idade avançada. Os fãs não prestaram atenção aos críticos e compareceram em massa na estreia. O filme rendeu mais que “For Your Eyes Only” e “Never Say Never Again”, portanto, na batalha dos lucros, Roger Moore saiu vitorioso de sua prova de fogo.

Entre mortos e feridos, no ano de 1983, quem saiu ganhando mesmo foi o público, que teve à sua disposição dois atores formidáveis dando tudo de si em filmes muito bons.

RECOMENDAMOS



Viva você também este sonho...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui