No “Dica do DTC”, a nova seção do “Devo Tudo ao Cinema”, a intenção não é entregar uma longa análise crítica, algo que toma bastante tempo, mas sim, uma espécie de drops cultural, estimulando o seu garimpo (lembrando que só serão abordados filmes que você encontra com facilidade em DVD, streaming ou na internet). O formato permite que mais material seja produzido, já que os textos são curtos e despretensiosos.

***

A Luta Por Um Ideal (Won’t Back Down – 2012)

Inconformadas com a situação precária da escola de seus filhos, uma professora (Viola Davis) e uma mãe (Maggie Gyllenhaal) unem forças  para enfrentar a corrupção poderosa e entrincheirada da presidente do sindicato dos professores (Holly Hunter) e do diretor da escola (Bill Nunn). As bravas mães arriscam tudo para fazer a diferença na educação e no futuro de seus filhos.

É comum que veículos sobre cinema aproveitem o Dia do Professor no Brasil para celebrar projetos que abordem temas da agenda progressista, como vitimismo social, mas todo indivíduo lúcido já entendeu que existem professores íntegros, que verdadeiramente honram a nobre profissão, mas que há também uma massa de profissionais, aplaudidos pelos sindicatos, que estão mais preocupados com a formação de uma nova geração de militantes de esquerda, do que em alfabetizar com excelência ou estimular o raciocínio lógico em seus alunos.

Claro, a estratégia faz sentido, jovens com avançada capacidade cognitiva jamais abraçariam o ideário marxista, jamais seriam manipulados por discursos simplistas e intelectualmente desonestos. Dito isto, há um filme, inspirado em uma história real, obviamente apedrejado à época pelos sindicatos de professores e pela imprensa, que corajosamente alertou sobre a necessidade dos pais se manterem vigilantes sobre o material que está sendo oferecido aos seus filhos nas escolas.

“A Luta Por Um Ideal” sofreu todo tipo de ataque em seu lançamento, apesar de ter um elenco respeitadíssimo e uma produção competente, foi demonizado, boicotado, matérias acusavam o golpe, afirmavam que a produção havia sido financiada por ativistas conservadores cristãos, em suma, o sistema vestiu a carapuça.

Analisando tecnicamente, a trama é inspiradora, emociona bastante, não se debruça demais nos clichês, encanta qualquer professor sério, digno. A mensagem final, transmitida com eficiência cirúrgica, vai incomodar apenas os canalhas na área.

  • O filme não está em nenhuma plataforma de streaming, mas você encontra na internet.

RECOMENDAMOS



Viva você também este sonho...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui