Tesouros da Sétima Arte – “O Condenado de Altona”, de Vittorio De Sica

0

O Condenado de Altona (I Sequestrati di Altona – 1962)

O industrial Albrecht Von Gerlach descobre que está no fim da vida e nomeia o seu filho Werner (Robert Wagner) como seu sucessor, Johanna (Sophia Loren), sua esposa e atriz envolvida em uma obra de Brecht contra o regime alemão, descobre os segredos da família.

Pérola injustamente pouco conhecida, inclusive entre os fãs de Vittorio De Sica, ainda que ele tenha recebido por ele o prêmio “David di Donatello”, como Melhor Diretor. Adaptado da penúltima peça de Jean-Paul Sartre (com bastante fidelidade, excetuando-se a opção de incluir cenas externas, fora do confinamento), única em que ele aborda diretamente o regime alemão, em uma crítica inteligente e ousada.

Sophia Loren, Fredric March e Maximilian Schell, atuam corajosamente em papéis que fugiam completamente daquilo que o público estava acostumado, garantindo um clima ainda mais soturno ao projeto. Faz recordar, no tom e na complexidade, os trabalhos do escritor polonês Günther Grass, dentre eles, o mais famoso: “O Tambor”.

A ideia por trás de um jovem oficial alemão que é mantido, anos depois do final da guerra, prisioneiro em um sótão por seu pai, sem qualquer comunicação com o mundo exterior, para que ele não perceba a realidade, causa arrepios só de pensar.

O excelente desfecho, que obviamente não revelarei, apresenta uma das imagens mais fortes do cinema de sua década. Um filme imprescindível!

Octavio Caruso
Viva você também este sonho...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here