Sobre o conceito de “filme velho” e o valor da revisão

    2

    O filme em preto e branco, mudo ou falado, em suma, aquela
    obra que foi lançada décadas antes de você nascer. É comum ler comentários de
    adultos que citam estes títulos com a certeza de que resgatam algo
    provavelmente esquecido, como se já antecipassem a resposta debochada:
    “Isso não é do meu tempo, coroa”. Por vezes, a própria pessoa já se
    defende, dizendo de forma depreciativa que o filme é velho. Como assim? Velho é
    aquilo que você conhece há muitos anos. Se você tem dezoito anos e está começando
    a se interessar por cinema, TODOS os filmes já produzidos são NOVOS.

    É importante, como crítico de cinema e um apaixonado
    autodidata pelo garimpo desde a infância, utilizar este espaço para tentar
    fazer você entender que, por mais que muitos jovens e adultos primem pelo
    limitado pensamento imediatista, o mais correto é apreciar a arte como algo
    atemporal. Aprofundando a análise, a forma como o indivíduo enxerga o passado é
    sintomática de seu nível educacional. Vale traçar um paralelo com o desrespeito
    generalizado com os idosos na sociedade. Como sempre afirmo, incentive em seus
    filhos desde cedo o amor pelo garimpo cultural. Aquele que não vê beleza no
    antigo, ou que sequer dá chance de conhecer estas obras, por preconceito tolo
    ou preguiça, está fadado a acordar um belo dia e perceber que já não é mais
    existencialmente relevante, afinal, envelheceu.

    A pessoa debocha porque você está vendo um filme repetido. O
    clássico “este eu já vi” simplesmente não faz sentido na apreciação
    cinematográfica. O ato de rever um filme é fundamental. Imagine escutar a
    canção apenas uma vez. Imagine beijar a pessoa amada apenas uma vez. Quem vê o
    filme apenas uma vez enxerga no cinema um passatempo pueril, facilmente
    substituível por uma partida de gamão, ou um treino de cuspe à distância. O
    amor urge pelo reencontro.

    RECOMENDAMOS


    Octavio Caruso
    Viva você também este sonho...

    2 COMENTÁRIOS

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here