“Rabo de Foguete”, de Norman Taurog

    0

    Rabo de Foguete (Visit to a Small Planet – 1960)

    Jerry Lewis é o alienígena Kreton, um ET atrapalhado e
    curioso por descobrir como é a vida na Terra. Sai escondido de seu planeta e aterrissa
    no quintal de um famoso jornalista de TV que não acredita em extraterrestres.
    Kreton deseja fazer um estudo dos humanos e se apaixona pela filha (Joan
    Blackman) do jornalista, mas sua incapacidade provoca uma série de confusões e
    coloca a vida do jornalista de cabeça para baixo.

    No mesmo ano, Jerry Lewis lançaria seu primeiro projeto como
    diretor, “O Mensageiro Trapalhão”, ele ainda estava dando os primeiros passos
    criativos sem Dean Martin, com quem já havia feito várias comédias dirigidas
    pelo competente Norman Taurog, como “Sofrendo da Bola”, “O Meninão” e a
    excelente “O Biruta e o Folgado”. No ano anterior, ele comandou “A Canoa Furou”,
    fraca tentativa solo de Lewis, mas foi com “Rabo de Foguete”, adaptada de uma
    peça de Gore Vidal que utilizava o tema da ufologia para criticar o pavor midiático
    da ameaça vermelha pós-Segunda Guerra, que os dois acertaram na ousadia
    temática. É claro que todo o contexto crítico foi incrivelmente amenizado no
    cinema. No ano seguinte, Taurog iniciaria uma longa e produtiva parceria cinematográfica
    com Elvis Presley. Vidal detestou a escolha de Lewis para protagonizar o
    trabalho defendido pelo elogiado ator Cyril Ritchard na Broadway, papel que deu
    a ele uma indicação ao prêmio Tony. O caso é que o comediante extremamente
    popular era sinônimo de lucro alto nas bilheterias, o estúdio não pensou duas
    vezes.

    O histrionismo de Lewis funciona especialmente pelo contraste que se
    estabelece com o personagem do jornalista, vivido por Fred Clark, equilíbrio
    raramente alcançado e que potencializa o efeito cômico de várias sequências. A
    trucagem visual de Fred Astaire em “Núpcias Reais”, lançado nove anos antes,
    pode ser vista aqui, com Lewis andando pelas paredes da sala. Outro momento fantástico
    ocorre na pista de dança, com o alienígena camarada demonstrando dificuldade em
    compreender e acompanhar os passos da jovem terráquea símbolo da geração Beatnik. Um dos trabalhos mais curiosos do saudoso Lewis, para ver e rever.

    propaganda rabo de foguete - "Rabo de Foguete", de Norman Taurog

    * O filme está sendo lançado em DVD pela distribuidora “Classicline”, com opção de dublagem em português.

    RECOMENDAMOS


    Octavio Caruso
    Viva você também este sonho...

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here