Crítica de “O Jovem Ahmed”, de Jean-Pierre e Luc Dardenne

0

O Jovem Ahmed (Le Jeune Ahmed – 2019)

Ahmed (Idir Ben Addi) é um jovem muçulmano de 13 anos que vive na Bélgica. Seguindo as palavras de um imã local, e inspirado nos passos do primo extremista, ele começa a rejeitar a autoridade da mãe e da professora.

A filmografia dos irmãos Dardenne é um tesouro que merece ser revisitado com frequência, gosto muito de “Rosetta” (1999) e “O Garoto da Bicicleta” (2011). “O Jovem Ahmed” é mais um acerto na carreira, focando na desconstrução do fanatismo religioso na figura de um jovem muçulmano, evidenciando o contorcionismo psicológico necessário para que este tipo de distorção ocorra, levando em conta também a reação da sociedade.

O roteiro aponta o dedo para a irresponsabilidade criminosa dos líderes que plantam a semente do ódio nas mentes em formação, como o imã (Othmane Moumen), que, ao primeiro sinal de que os atos do menino trarão consequências ruins para seu trabalho, covardemente se exime de culpa, jogando todo o peso nas costas de seu pupilo. Deste ponto em diante, o filme agarra o espectador pelo braço e não solta mais, entra em cena a habilidade dos diretores em manter a tensão palpável, evitando sentimentalismo, sem fazer concessões mercadológicas.

O momento em que a mãe (Claire Bodson) chorando pede o abraço do filho, desejando que ele volte a ser doce e carinhoso como antes, emociona naturalmente, o estilo sóbrio dos diretores até potencializa o drama. A atuação inteligentemente minimalista de Idir Ben Addi, reforçada pela unidimensionalidade de uma mente encabrestada por dogmas, alimenta no público a questão: Há possibilidade dele ser salvo?

O tema é espinhoso, mas a forma como a trama se desenvolve é leve, uma parábola universal que me remeteu à citação famosa do físico Steven Weinberg: “Com ou sem religião, pessoas boas podem se comportar bem e pessoas más podem fazer o mal; mas para as pessoas boas fazerem o mal – isso requer religião.”

Cotação: Azhar movie Star Ratings 2 - Crítica de "O Jovem Ahmed", de Jean-Pierre e Luc Dardenne

Octavio Caruso
Viva você também este sonho...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here