“Proposta Indecente”, de Adrian Lyne

0

Proposta Indecente (Indecent Proposal – 1993)

  • O texto contém spoilers, então recomendo que seja lido após a sessão.

Um adorável casal, David (Woody Harrelson) e Diana Murphy (Demi Moore), tem um futuro brilhante. Ele é um arquiteto; ela corretora. Mas eles estão passando por uma crise financeira. Em uma última tentativa de salvar a casa de seus sonhos, eles vão para Las Vegas a fim de ganhar dinheiro no jogo e conseguirem pagar a hipoteca. Após perderem tudo, um misterioso bilionário (Robert Redford) oferece uma solução para o seu problema financeiro.

“Até mesmo um tijolo quer ser alguma coisa…” (frase do arquiteto Louis Isadore Kahn, defendida pelo personagem de Woody Harrelson)

O livro homônimo original de Jack Engelhard é bem interessante, só encontrei anos atrás na internet, em PDF, em inglês. O autor se aprofunda nas questões filosóficas (com destaque para o simbolismo do marido judeu que escapou do regime alemão na infância, contra o bilionário árabe, algo que foi cortado) que, obviamente, a adaptação cinematográfica substitui por imediatista tensão e leve entretenimento, mas, no geral, o filme é competente, apesar de ser tonalmente esquizofrênico. Em revisão recente, surpreendeu positivamente, resistiu muito bem ao teste do tempo.

É louvável que, em nenhum momento, o roteiro demonize a esposa e o bilionário, tampouco alivie a carga de culpa do marido, fica evidente desde o início que os três são vítimas de suas próprias fragilidades humanas.

O homem abastado reconhece eventualmente o cruel erro cometido por puro capricho egoísta, a bela mulher compreende entristecida que abdicou do amor sincero por um vislumbre dourado, e, na solidão da culpa, o marido descobre na dor o impulso necessário para correr atrás dos seus objetivos pessoais e profissionais, ressignificando o relacionamento conjugal.

Outro toque inteligente da trama foi negar ao espectador o registro audiovisual do que ocorreu na noite romântica no iate, colocando o público na pele de David, intensamente angustiado.

“Proposta Indecente” foi muito apedrejado na época, mas merece ser reavaliado com um olhar mais generoso.

Octavio Caruso
Viva você também este sonho...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here