O Viúvo (Il Vedovo – 1959)

Alberto Nardi (Alberto Sordi) é um jovem industrial com sonhos de grandeza e que vive perseguido por credores. Casado com Elvira (Franca Valeri), uma empresária de sucesso em Milão, a quem Nardi recorre, não sem resistência dela, sempre que precisa de investimento para suas ideias delirantes. Como Elvira já havia decidido a não lhe emprestar mais um tostão, ele passa a ter ideias ainda mais mirabolantes para obtê-lo.

Esta pérola do humor negro, dirigida pelo grande Dino Risi, infelizmente segue acumulando poeira nas prateleiras do tempo, a nova geração de cinéfilos brasileiros talvez nem saiba quem foi Alberto Sordi, logo, acho válido estimular o garimpo deste tesouro.

A trama foi livremente inspirada no caso Fenaroli, também conhecido como o Mistério da Via Monaci, crime grotesco que movimentou a imprensa italiana da época, mas, obviamente, trabalhada pelo viés da comédia. A primeira cena, antes mesmo dos créditos iniciais, já dá o tom de forma brilhantemente simples, vemos o protagonista relatando ao amigo um sonho curioso que teve, ambientado no funeral da esposa, onde todos choravam, menos ele, que gargalhava sem parar, até que sentiu uma cutucada no pescoço, virou e viu a patroa, que perguntou sem pensar duas vezes: “O que é isso, cretino? Agora deu para rir dormindo?”

A competente entrega de Sordi, equilibrando bem a humilhação constante e a impulsividade tola, aliada à fotografia soturna de Luciano Trasatti, jamais deixam que as nuances de crítica social se percam na escalada de situações bizarras, culminando numa reviravolta hilária em seu simbolismo, envolvendo o elevador de um edifício.

* Você encontra o filme facilmente garimpando na internet.

RECOMENDAMOS



Viva você também este sonho...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui