No “Dica do DTC”, a nova seção do “Devo Tudo ao Cinema”, a intenção não é entregar uma longa análise crítica, algo que toma bastante tempo, mas sim, uma espécie de drops cultural, estimulando o seu garimpo (lembrando que só serão abordados filmes que você encontra com facilidade em DVD, streaming ou na internet). O formato permite que mais material seja produzido, já que os textos são curtos e despretensiosos. 

***

Picardias Estudantis (Fast Times at Ridgemont High – 1982)

Stacy é uma adolescente bonita, mas sem experiência, que quer namorar. Com o conselho de sua amiga desinibida, Linda, Stacy fica presa em um triângulo amoroso com um cara legal Mark e seu amigo Mike. Enquanto isso, na escola, o colega de Stacy, Jeff Spicoli, que vive para surfar, enfrenta Sr. Hand, um professor rigoroso, que não gosta deste tipo de comportamento.

O roteirista estreante Cameron Crowe, se disfarçou de aluno de colégio para trazer uma trama recheada de pimenta, drogas e rock and roll, criando alguns dos mais memoráveis personagens já vistos no gênero. Está tudo aqui, desde as aventuras românticas de Stacy (Jennifer Jason Leigh) e Linda (Phoebe Cates), a rápida carreira de Brad (Judge Reinhold) no mundo das lanchonetes, até o inesquecível e maluco surfista Spicoli (Sean Penn).

Assim como todos os garotos que assistiram na época, eu posso lembrar perfeitamente do impacto da cena em que a bela Phoebe Cates sai lentamente da piscina, no sonho apimentado do personagem vivido por Judge Reinhold, caminha em direção à câmera com um olhar sedutor e tira a parte de cima do biquíni.

Acho engraçado quando leio textos sobre o filme, escritos por jovens que viveram aquela época, salientando apenas a participação do Sean Penn. Ah, não sejamos hipócritas. Eu somente fui notar a presença dele no filme depois de anos. Na adolescência, não perdia uma exibição do filme no SBT, somente por causa da Cates e da doçura levemente sensual de Jennifer Jason Leigh.

Para escrever sobre este filme, tive que despedir por algumas horas o meu lado “profissional da crítica cinematográfica”, resgatando apenas aquele adolescente tímido de outrora, numa época sem internet e televisão a cabo, que torcia para chegar sexta à noite, somente para ligar na TV Bandeirantes e ver filmes mais calientes.

RECOMENDAMOS



Viva você também este sonho...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui