No “Dica do DTC”, a nova seção do “Devo Tudo ao Cinema”, a intenção não é entregar uma longa análise crítica, algo que toma bastante tempo, mas sim, uma espécie de drops cultural, estimulando o seu garimpo (lembrando que só serão abordados filmes que você encontra com facilidade em DVD, streaming ou na internet). O formato permite que mais material seja produzido, já que os textos são curtos e despretensiosos.

***

O Super Cérebro (Le Cerveau – 1969)

Dois indivíduos preparam-se para assaltar um trem especial que transporta fundos secretos da OTAN. Do lado francês está Arthur (Jean‑Paul Belmondo), um bandidinho esperto que é ajudado por Anatole (Bourvil). Do outro lado, o Cérebro, que dispõe de meios consideráveis para agir.

Uma comédia maravilhosa comandada pelo sempre competente Gérard Oury, que conta no elenco com nomes como Bourvil, Jean-Paul Belmondo, David Niven e Eli Wallach, infelizmente esquecida nas prateleiras do tempo, mas que tive o prazer de conhecer na infância, se não me falha a memória, em alguma exibição noturna televisiva.

A capacidade do diretor de impor um ritmo frenético, sem prejudicar a imersão do público, característica que também é notada em seu filme mais famoso, “A Grande Escapada” (1966), transforma esta farsesca homenagem aos filmes de assalto em um espetáculo, proporcionando a cada artista vários momentos brilhantes, inclusive Bourvil, que, apesar de já sofrer muito com o mieloma múltiplo, sentindo dores insuportáveis durante as filmagens, entregou uma das melhores atuações de sua carreira.

O segredo do sucesso da obra pode ser captado na excelente autobiografia de Belmondo, em que ele reforça o agradável clima de camaradagem familiar que Oury sempre criava em suas produções, verdadeiras colônias de férias, algo que se reflete cristalinamente no produto final. E, levando em consideração que o diretor iniciou este projeto com total apoio dos executivos, após o lucro impressionante nas bilheterias de “O Trouxa” (1965) e o já citado “A Grande Escapada”, você consegue sentir no ar a leveza de quem estava operando com total liberdade criativa, visando alcançar desta feita o mercado internacional.

Um tesouro do cinema francês que merece ser redescoberto.

  • Você encontra o filme em DVD e, claro, garimpando na internet.

RECOMENDAMOS



Viva você também este sonho...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui